Banner
 

20/05/2015

Aumento das taxas de condomínio

Por: Carla Brayner

SÍNDICOS TENTAM DIMINUIR AS DESPESAS PARA EVITAR NOVOS REAJUSTES

As taxas de condomínio dos prédios aumentaram quase 8% nos últimos 12 meses no Brasil, segundo o IBGE. Muitos moradores já estão sentindo a diferença no bolso. Com isso, os síndicos estão diminuindo as despesas para evitar novos reajustes.

De acordo com o Síndico Profissional, Claudio Celino, os maiores custos de um condomínio são a mão de obra e os insumos (água, luz, gás). “Assim, são nesses itens que devemos concentrar os esforços, para reduzir os custos e não aumentar a cota condominial”, informa Claudio.

No condomínio Jequitibá, localizado no Cabula, Claudio Celino decidiu contratar diretamente a mão de obra terceirizada. “Em média, o custo da terceirização é um quinto do valor da contratação direta. Ou seja, em uma folha de pagamento da ordem de R$ 20.000,00, você terá que gastar R$ 24.000,00/mês (no mínimo) se decidir terceirizá-la. Obviamente, isso dá muito mais trabalho para o gestor e reduz a flexibilidade dos serviços no condomínio, uma vez que não haverá a disponibilidade de funcionários para uma eventual substituição, além de acrescentar custos de RH para seleção e contratação”, informa Claudio. 

Já no item de consumo, ele contratou uma empresa especializada na economia de água, que conseguiu reduzir o consumo médio em 88m³/mês, gerando uma economia de mais de R$ 12.000,00/ano. “No item energia, passamos a trocar todas as lâmpadas de alto consumo por LED. O investimento é alto, mas o retorno é rápido. No futuro, planejamos instalar um sistema de cogeração solar, cujo retorno do investimento que variava de 10 a 15 anos, já reduziu bastante com os novos valores de energia”, finaliza Claudio Celino. 

Além de todos os reajustes nas tarifas públicas e na folha de pagamento, outro fator que tem pesado no valor da taxa de condomínio é a inadimplência. “O condomínio pode entrar com ação na justiça para receber os atrasados e o próprio imóvel pode ser penhorado para acertar as contas do inadimplente”, informa o advogado Rodrigo Nascimento.



 

Tags: Aumento  Despesas  Economia  Taxa de condomínio  

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710