Banner
 

20/05/2016

Em tempos de crise

Por: Carla Brayner

COMO REALIZAR REFORMAS SEM IMPLANTAR COTAS EXTRAS

O condomínio precisa de uma reforma? Este é um momento para ficar atento. O custo da construção civil ficou 0,82% mais caro em março, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E a cobrança de taxas extras diante da atual conjuntura do país não é bem vista pelos condôminos.

Existem itens no condomínio que devem ser inspecionados regularmente. “É importante contratar um profissional habilitado pelo conselho regional de engenharia e agronomia (Crea) para inspecionar, analisar e avaliar a estrutura de concreto armado, a cada cinco anos, conforme a tabela 1 da lei municipal 5.907/01. Mas, na realidade a tipificação do projeto, condições de execução da obra e a exposição ambiental da estrutura, ou seja, a localização do empreendimento em relação a agressividade do ambiente, é quem determina o período real para uma inspeção e consequentemente a devida manutenção”, alertou o engenheiro civil Edgarde Gonsalves.

Mesmo em tempos de crise financeira, o condomínio não pode deixar de realizar intervenções nos itens componentes da estrutura de concreto armado, que são responsáveis pela estabilidade do empreendimento: os pilares com suas respectivas fundações (bases de apoio no solo), vigas e lajes. “A estrutura de concreto armado como um todo, é o esqueleto do prédio, é quem recebe as cargas impostas ao empreendimento e transmite ao solo. Ou seja, é quem dá a devida sustentação e qualquer anomalia ou não conformidade aparente, deve ser de imediato investigado. Também é imprescindível avaliar a estrutura dos reservatórios de concreto armado”, concluiu Edgarde. 

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) registrou custo de R$ 984,81 por metro quadrado em março, ante R$ 976,82 de fevereiro. A inflação de 0,82%, apurada pelo Sinapi em março, teve como principal influência o aumento do custo da mão de obra, que subiu 1,35% no mês, chegando a R$ 459,43 por metro quadrado. O custo do material de construção subiu 0,35% e chegou a R$ 525,38 por metro quadrado. “Diante dos fatos supracitados, recomenda-se que os síndicos se encaminhem as lojas, pesquisem e análisem os preços e a qualidade do material ofertado e só então compre. Além de procurar barganhar com o responsável pela obra, o valor da mão de obra”, disse o economista Alexandre Rodrigues. 

Caso o condomínio esteja no vermelho, mas precisa realizar essas intervenções, o economista Alexandre, dá dicas para evitar implantar taxa extra e aumentar a insatisfação dos moradores: “Combata a inadimplência de novos condôminos e tente fazer um acordo com os inadimplentes, e caso contrário, entre com processo judicial de cobrança. Isso aumentará a receita do condomínio; reduza gastos do condomínio, como água, luz e hora-extra, com intuito de aumentar a receita; após essas medidas, o planejamento da obra deve ser o próximo passo. Separe algum tempo, defina o que é realmente indispensável a ser feito e quais são as prioridades. Problemas estruturais, devem ser priorizados; depois do planejamento, defina o orçamento da reforma. Caso não tenha dinheiro suficiente em caixa, reveja o planejamento e só faça o que for realmente necessário; consulte mais de um profissional e opte por aquele que tiver o valor mais próximo do seu orçamento, talvez nessa etapa sejam necessárias alterações no orçamento, mas busque se manter o mais próximo possível do valor estipulado. Embora a palavra de ordem seja “economizar”, procure sempre contratar um bom profissional, que possa ser um engenheiro ou um arquiteto, por exemplo. Com um profissional adequado acompanhando a reforma o condomínio economiza, pois tudo será feito seguindo um projeto; solicite ao profissional contratado indicações de diferentes marcas dos materiais necessários na reforma. Pesquise na internet e em diferentes lojas os preços desses materiais. Dessa forma é possível conseguir bons preços e por fim, estabeleça prazos para os empreiteiros e defina isso em um contrato por escrito para que sua reforma não demore mais tempo do que o previsto, de maneira que o condomínio não tenha mais gastos com os empregados contratados para realizá-la”.


COMO FAZER PARA CONSEGUIR PREÇOS MELHORES? 

Veja algumas dicas do economista Alexandre para diversas situações:

1. Entenda de Precificação
 Não precisa conhecer cada porcentagem de valor de tudo que você compra. Basta ter noção de que, em geral, o preço de um produto abrange os custos de produção, de transporte, os impostos e muitas vezes, também, uma possível margem de descontos. E é aí que entra sua possibilidade de economizar. Sabendo que muitas mercadorias já incluem essa margem em seus preços, você tem um bom argumento para negociar seu desconto. Mas lembre-se de que é improvável que o vendedor ou lojista fale sobre a possível margem de desconto ou ofereça isso a você, caso você não peça.

2. Pesquise e Pechinche
É importante pesquisar a qualidade e o preço desses materiais e junto com o profissional (arquiteto ou engenheiro), fazer uma lista do que será usado e pesquisar, em pelo menos três lojas de construção, antes de comprar o material para ter a certeza de que o preço a pagar está de acordo com o seu orçamento e é o mais em conta que conseguiu encontrar. Procure barganhar com o profissional responsável pela reforma o valor da mão de obra.

3. Observe a Concorrência
Uma técnica de negociação que pode lhe render uma boa economia é atiçar a concorrência. Supondo que, em sua pesquisa de preços, você encontre um produto mais barato em determinada loja, você não precisa comprá-lo imediatamente neste local. A estratégia é pegar o folheto de ofertas com o preço mais baixo anunciado (ou pedir ao vendedor que anote o preço e modelo do produto no cartão da loja) e levá-lo até o concorrente com preço superior para pedir um desconto ainda maior.

4. Evite Produtos Novos
Produtos recém-lançados no mercado costumam ser mais caros. Quando não são mais novidade, seus preços tendem a cair até pela metade. Planejar-se é novamente a melhor estratégia. Lembre que a probabilidade de conseguir descontos em produtos de modelos mais antigos é maior. 



 

Tags: Manutenção Preventiva  Reformas em Condomínio  

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710