17/05/2017

Mitigando a inadimplência

Por: Carla Brayner

CARTÃO DE CRÉDITO É NOVA FORMA DE PAGAMENTO DA TAXA CONDOMINIAL

Água, gás, luz, telefone e condomínio. Essas são contas básicas que a população paga mensalmente. Com a crise financeira, aumento de impostos, variação de inflação, e estagnação de salários, a maioria da população tem encontrado dificuldade em manter tudo em dia, principalmente a taxa condominial. Porém, medidas têm sido tomadas para evitar os prejuízos decorrentes da falta de pagamento, e uma novidade chegou ao mercado: a opção de pagamento da taxa condominial por meio do cartão de crédito.


“ALÉM DE CONCENTRAR AS CONTAS EM APENAS UM VENCIMENTO,
GANHO PONTOS DE BENEFÍCIOS DO CARTÃO”

Sheila Guimarães
Assistente de contabilidade



O pagamento de contas por meio do cartão de crédito é uma das formas de evitar a suspensão de serviços por falta de pagamento. “Já paguei algumas contas no cartão de crédito para manter tudo em dia. Além de concentrar as contas em apenas um vencimento, ganho pontos de benefícios do cartão, e posso parcelar a fatura, caso não tenha dinheiro na data do vencimento”, informou a assistente de contabilidade, Sheila Guimarães.   

A iniciativa pioneira colabora para mitigar a inadimplência, reduzir custos operacionais dos condomínios e oferecer comodidade aos condôminos. “Os clientes cadastram apenas uma vez os dados do cartão de crédito em um ambiente seguro. A partir deste cadastro, as mensalidades recorrentes posteriores são cobradas de forma automática”, informou Alexandre Brito, vice-presidente de desenvolvimento de Aceitação, Varejo e Novos Negócios da Mastercard Brasil e Cone Sul.

Outras formas convencionais de pagamentos e outras práticas, como de bom relacionamento, contratação de empresa de cobrança ou até mesmo jurídica devem ser disseminadas e implantadas no condomínio, pois a maior consequência de quem deixa de pagar o condomínio é a possibilidade de ter o imóvel penhorado por conta da dívida, mesmo que seja único bem de família. “Neste momento, o juiz determina ao réu que efetue o pagamento da dívida. Após o trânsito em julgado da decisão, caso a parte acionada não efetue o pagamento da dívida, inicia-se a fase de execução, com um acréscimo de 10% referente a multa por não ter havido o cumprimento voluntário da sentença. A partir daí o juiz determina o bloqueio das contas bancárias e/ou realiza penhora de veículos que esteja em nome do réu. Caso todas essas tentativas sejam infrutíferas, o juiz determina a expedição de mandado de penhora e avaliação da unidade”, disse a advogada Ionara Ribeiro.

Com isso, a melhor medida, é buscar formas de conter gastos nos condomínios, evitar um aumento de taxa condominial, e disseminar formas práticas para o pagamento da taxa, evitando assim, a inadimplência e suas consequências.



 

Tags:   Pagamento Cartão  Taxa Condominial  

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710