Banner
 

22/09/2017

Economia no condomínio

Por: Carla Brayner

ADMINISTRADORA CONSEGUE REDUZIR EM 47% AS DESPESAS CONDOMINIAIS

Todos estão sentindo o reflexo do cenário econômico do país. Neste momento, o síndico precisa agir e implementar ações que evitem o aumento da inadimplência e das despesas do condomínio. 

Paulo Vilas Boas, diretor e síndico profissional da Ystilus Assessoria e Serviços em Condomínios, afirma que ao assumir a administração de um condomínio atua diretamente nas contas para identificar e atacar os vilões do orçamento. “Trata-se de uma rotina dos nossos serviços, e temos conseguido racionalizar bastante os custos dos condomínios, chegando em alguns casos, a uma redução de mais de 30%”, afirma Paulo.

Ao assumir a administração de um condomínio empresarial, a Ystilus encontrou uma situação caótica e conseguiu reduzir significativamente os custos mensais. “Após minucioso levantamento foi possível reduzir os custos em 42% deste condomínio. Reordenamos o quadro de pessoal, incluindo dispensas, estabelecendo roteiros, renegociando contratos com prestadoras de serviços, transferindo alguns serviços terceirizados para a equipe do condomínio, e aplicando a tecnologia em diversos setores. Com os recursos que economizamos, foi possível fazer novos investimentos no condomínio e proporcionar a permanência, durante três anos seguintes, da mesma taxa ordinária de condomínio”, contou Paulo. 

Em geral, as despesas com pessoal, são as que mais pesam no orçamento, representando uma média de 65% do total das despesas. “Na prática, identificamos que o funcionário bem treinado e motivado da forma correta, vale por dois”. Por isso, investimos bastante nesses quesitos e conseguimos reduzir o número de empregados nos condomínios.  Além disso, investir em tecnologias para a monitoração das áreas comuns e no controle de acesso, pode gerar significativa redução de custos, tornando desnecessária, muitas vezes, a contratação de vigias, porteiros ou rondistas, alerta Paulo. 

As despesas com energia elétrica, água e esgoto também oneram o orçamento. “Adotamos sempre medidas técnicas de racionalização dos consumos nas áreas comuns, inclusive, em algumas situações, sugerindo o reordenamento das instalações. Além disso, existem empresas especializadas, que oferecem excelentes resultados aos condomínios, monitorando consumos, identificando desperdícios, implantando sistemas de controle, que podem trazer elevados índices de redução”, diz Paulo. 

Os condomínios não devem economizar na busca por ajuda profissional, contratando administradores realmente capazes de exercer as suas funções, com o profissionalismo necessário, e que tenham expertise comprovada.


 

Tags: Despesas condominiais  Economia  Gestão  

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710