Banner
 

28/03/2013

Novo Seguro Condomínio exige atenção do corretor nas renovações

Por Nelson Uzeda

Conforme a Resolu­ção 218/2010, regu­lamentada pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), o seguro condomínio ganhou novo formato em todo o país a partir de 1º de julho. Com a novidade, o produto é disponibilizado com duas coberturas básicas: a sim­ples e a ampla. 
 
A novidade exige atenção redobrada dos corretores nessa fase de transição para o novo modelo. É possível que nem todas as seguradoras já tenham tudo pronto para as renovações. Então pode ser aconse­lhável pedir prorrogação das apólices e evitar que os clientes fiquem sem seguro.
 
Em linhas gerais, serão apresentadas duas modalidades: básica simples, que mantém as proteções que já existiam, tais como incêndio, queda de raio dentro do terreno segurado e explosão de qualquer natureza. 
Já a modalidade básica ampla é na verdade um seguro “all risks “, contemplando também proteção para desmoronamento, alagamento e prejuízos diversos, em virtude de fenômenos naturais.
 
Esses ítens podem ser acoplados à modalidade básica simples, mas como adicionais da apólice, não havendo mais possibilidade de vender o produto nos moldes anteriores à Resolução. Dessa forma, os planos atuais devem ser adaptados às novas normas.
 
É bom salientar ainda que, em casos de sinistros, corretores e segurados podem contar com a maior agilidade e facilidade de indenização integral pré-estipulada, por meio da definição de uma Importância Segurada Única. 
Poderão ser contratados para  condomínios residenciais, escritórios, mistos, consultórios, flats ou apart-hoteis, lembrando também os shopping centers, que por analogia são enquadrados no seguro condomínio.  A lei 4.591 estabelece as bases para contratação do seguro ratificadas no Decreto-Lei 73/66. 
 
No caso dos seguros das habitações, cujos mutuários de entidade que integram o Sistema Financeiro da Habitação será considerado a 2º risco absoluto, enquanto esteja em curso o contrato de financiamento da sua unidade habitacional e desde que o citado contrato de financiamento tem amparo pelo seguro compulsório. 
 
A cobertura a 2º risco contempla exclusivamente os i­móveis dos mutuários, excluin­do-se as áreas comuns do condomínio segurado. Uma das principais vantagens tem relação com o conceito de primeiro risco absoluto para todas as garantias básicas, ou seja, independente do valor arbitrado, a cobertura será de 100% em si­nistros, sem sublimites.
 

 
__________________________________________________________________________________________
Nelson Uzeda é graduado pela Unifacs em Gestão de Seguros. É consultor docente, Diretor financeiro do Clube dos Seguradores do Estado da Bahia e superintendente executivo da Cia Excelsior de Seguros em Salvador. www.uzedaconsultordeseguros.blogspot.com


 

Tags:   

Comentários

Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.

Travessa Francisco Gonçalves, 01, Edf. Reitor Miguel Calmon, Sl. 303
Comércio - CEP:40.015-090 71 3242-1084 / 3491-0710