27/03/2013

Infiltrações podem comprometer estrutura do imóvel

Por Indira Naiara


Os síndicos devem ficar em alerta e procurar ajuda especializada nos primeiros sinais de umidade
 
Presença de manchas, bolhas e mofo nas paredes ou no teto muitas vezes não recebem a atenção devida, mas é necessário ter cuidado, pois esses são sinais de infiltração. Além do aspecto visual desagradável, ela causa problemas que podem comprometer a estrutura dos imóveis e a saúde dos moradores. 
 
De acordo com o enge­nheiro calculista Maurício Bastos, a infiltração isoladamente não constitui um problema estrutural, mas a umidade em contato com as armaduras (as estruturas metálicas da construção) auxilia no processo de oxidação, provocando a corrosão das mesmas e, consequentemente, danos estruturais.  
 
Para quem mora em condomínios de prédios o cuidado com a infiltração deve ser maior do que em casas. “Em casas e prédios, os efeitos provocados pela infiltração podem ser bastante danosos, no entanto, numa edificação verticalizada um problema pontual pode compro­meter todo o conjunto, além do que, em um prédio, as correções podem ser mais custosas pela dificuldade de acesso”, diz o engenheiro. 
 
A água da chuva, falhas nas tubulações de água e esgoto e a umidade do terreno podem provocar infiltrações. Fabiane Argolo, do departamento técnico da Vedacit, explica que ao serem notados os primeiros sinais de infiltração é necessário detectar a causa do problema, pois só assim ele poderá ser resolvido. Para isso, é indispensável que uma empresa ou profissional qualificado seja contratado. “É importante contratar um profissional especializado, pois ele irá garantir a eficácia e a durabilidade do processo de impermeabilização”, afirma. 
 
Ao contratar o serviço é necessário que o síndico tenha cuidado tanto na escolha da empresa quanto na escolha do material. É importante verificar se a empresa tem registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA) ou se é sócia do Instituto Brasileiro de Impermeabilização (IBI).  O síndico deve verificar se no orçamento da empresa constam os gastos com mão de obra, material, transporte e encargos. Argolo explica que verificar esses dados é importante, para evitar que apareçam novos custos no decorrer da obra.  

Mas o ideal é que a impermeabilização seja feita durante a construção do imóvel o que, de acordo com Argolo, além de prevenir os futuros desgastes é muito mais econômico. “É mais barato fazer a impermeabilização durante o período de cons­trução, já que esta etapa corresponde a, aproximadamente, 3% do valor total da obra. Porém, quando aparecem os sinais de infiltração, o gasto se aproxima de 30% a 40%, dependendo do porte da obra”, conta.
 
Casa doente
 
Além de comprometer a estrutura do imóvel, a infiltração afeta a saúde dos moradores. Má ventilação e umidade tornam o local propício ao desenvolvimento de fungos. De acordo com o doutor Paulo Freitas, médico pneumologista, os ambientes que possuem essas características se enquadram no conceito de “casa doente”. 
 
Para o médico, nesses casos é necessário tratar não apenas o doente, mas também a casa. “Quando se vive em um ambiente que não é saudável, os sintomas das doenças vão sempre aparecer”, alerta. Sendo assim, é necessário manter a casa ventilada, livre de umidade, a fim de prevenir o aparecimento do mofo.
 
Além de doenças respiratórias e alérgicas, como rinite, sinusite e asma, os fungos que se desenvolvem em um ambiente úmido podem provocar micoses e doenças no aparelho digestivo. De acordo com o pneumologista, o aparecimento de doenças ocasionadas pelo mofo independem da idade, mas idosos e crianças sofrem mais com esses problemas, pois passam muito mais tempo em casa. “O mofo também é prejudicial para quem não sofre nenhum tipo de alergia. Por isso, esse tipo de problema deve ser evitado”, alerta o médico. 
 
Entrevista com Isaac de Cristo
 
Mestre de obras, estudante de arquitetura e urbanismo da UFBA, consultor do programa Metrópole Imobiliário e autor do livro Conhecendo Obras, Isaac de Cristo ensina aos leitores da revista Cadê o Síndico a solucionar problemas relacionados à infiltração. 
 
Cadê o Síndico - Como impermeabilizar parede externa sem revestimento?
Isaac de Cristo - Toda parede externa deve ser revestida. Se for uma parede de reboco, recomendamos a utilização de tinta impermeável. 
 
CS - Como corrigir umidade em rodapés?
IC - O reboco deve ser retirado desde o piso até uma faixa de 50 centímetros acima da parte úmida. Em seguida, deve-se aplicar argamassa polimérica em três ou quatro demãos cruzadas, chapiscar com composto adesivo e rebocar com argamassa feita com aditivo plastificante. 

CS - Como deve ser feita a impermeabilização da laje?
IC - O primeiro passo é regularizar a laje, deixando uma queda de 1% na direção dos ralos e arredondar os cantos formando uma meia-cana. Para a impermeabilização, recomenda-se a utilização de manta asfáltica, emulsão asfáltica ou emulsão acrílica. 

CS - Como tratar fissuras em paredes rebocadas?
IC - Considerando que as fissuras estejam estabilizadas, deve-se abri-las em V. Aplicar o mástique acrílico, com pistola especial para cartuchos sobre a superfície perfeitamente limpa, seca e isenta de poeira. O produto deve ser aplicado com tempo firme para que, durante a secagem inicial (cerca de quatro horas), não receba chuva. Caso se observe retração, após 24 horas, reaplicar o produto com espátula.

CS - Como tratar trincas em lajes e caixas d água?
IC - A superfície deve estar perfeitamente seca e limpa. Recomenda-se a aplicação de massa asfáltica com espátula, sobre pintura prévia, com uma demão de tinta asfáltica. Aplicar uma fina camada (1 mm) de massa asfáltica, comprimindo-a bem. Estando a camada perfeitamente seca, aplicar a segunda demão. Toda laje descoberta deve receber uma impermeabilização flexível, assim como toda caixa d´água deve ser impermeabilizada.
 
CS Como impermeabilizar o alicerce?
IC - Recomenda-se fazer um capeamento sobre o alicerce com argamassa impermeável, descendo 15 cm nas laterais. Após a cura, pintar com tinta asfáltica em três demãos. Após a secagem, subir as três primeiras fiadas de bloco com argamassa impermeável (utilizar aditivo hidrofugante).
 
CS - Como deve ser feita a impermeabilização de áreas frias como banheiros, cozinhas, área de serviço?
IC - Dentre outros produtos, indicamos a utilização de revestimento polimérico flexível. A superfície deve estar ligeiramente úmida (não saturada), perfeitamente limpa e isenta de pó. O componente B (líquido) é fornecido dentro do componente A (pó). Adicionar lentamente o pó ao líquido, misturando-os perfeitamente, até se obter uma pasta homogênea. Aplicar com trincha ou broxa, de três a quatro demãos cruzadas. 


 
 

Tags:   

Comentários

A revista Cadê o Síndico é uma realização da Editora União Salvador LTDA.